Um jogo que certamente não tem ganhador. Quem perde, no entanto, demora muito para se libertar (Foto: Pixabay)

Texto originalmente publicado no Portal NE10

* Relato pessoal da autora com experiências semelhantes vividas por outras mulheres

Nesta coluna aqui eu já escrevi de tudo um pouco sobre a seara afetiva. Quem acompanha meus textos sabe que já falei de rompimentos amorosos, amor próprio, reencontros, desapego e até de relacionamentos abusivos. Compartilhei vivências pessoais e de outras moças encantadoras que encontrei ao longo do caminho. E se esse é um espaço onde devo dividir tantos relatos, nada mais normal que juntemos retalhos de histórias parecidas. Eis que eu percebi que algumas narrativas que chegam até mim comprovam que, sim, existe uma classe de homens que não amam as mulheres, mas fazem de tudo para prendê-las.

Quer comprovar a teoria? Pergunte a alguma mulher do seu círculo social, da mais íntima à mais distante, se ela já passou por situação parecida: ela se envolve com um rapaz. De primeira, nada sério. Ambas as partes estão convictas de que o romance não envolve contrato de exclusividade. Mas o tempo vai passando e, como é de se esperar, um dos lados se envolve afetivamente. Nesse cenário, o lado é o feminino. Sem entender muito bem se o interesse é correspondido, ela começa a ler as entrelinhas. Cada gesto, cada palavra, cada contexto vivido entre os dois.

Se você espremer um pouco mais, essa mulher provavelmente vai te contar que foi se apegando a qualquer mínima demonstração de amor para se deixar ficar. Isso mesmo, quem ama geralmente se deixa enrolar. Ela vai deixar escapar, morrendo de vergonha, que todas as vezes que tentou escapar, algo acontecia e ela voltava a insistir em permanecer. A química perfeita, as histórias em comum, a intimidade compartilhada, a carência, a preguiça em procurar por outras pessoas. Muitos serão os motivos que elas te justificarão ter perdido tanto tempo com alguém que não estava na mesma sintonia.

Vou te contar um pouco do que eles costumam fazer. Eles vão dizer que não estão prontos para assumir um relacionamento sério. Mas darão um jeito de sempre monitorá-la a fim de checar se o território é só dele. Eles geralmente não têm ciúmes, sensação normal experimentada quando estamos envolvidos, mas farão ela pensar que, sim, eles estão enciumados. Eles perguntarão tudo sobre a rotina dela, mas vão se esquivar sempre que ela tentar fazer o mesmo. Vão sumir por algum tempo, mas não permitirão que ela assim o faça. Não darão expectativas, mas deixarão o solo adubado para que ela plante a semente da esperança. Eu disse o que? Esses homens não amam as mulheres, mas fazem de tudo um pouco para prendê-las.

Geralmente, quando confrontados, eles vão dizer que não têm culpa. Que sempre foram claros e que nunca sequer deram expectativas para que ela acreditasse que aquele lance poderia subir o degrau. Vão apelar para todos os santos, pode escrever. E então vão deixar de responder. Se você perguntar para essas mulheres, provavelmente elas vão te dizer duas coisas. Ou que se sentiram culpadas ou que acharam que estavam ficando loucas.

Depois de algum tempo, eles tendem a voltar. Começam rondando o terreno. Alguns vão se aproximar dizendo que sentiram muita falta dela. Seja como amiga ou como mulher. Outros vão justificar a reaproximação afirmando que não suportam a ausência dela. Nada claro de novo. Realmente, nenhum contrato firmado. É muito pouco. Mas para quem ama, acerta bem cheio, lá no fundo. E então o ciclo doentio recomeça. Um jogo que certamente não tem ganhador. Quem perde, no entanto, demora muito para se libertar.

Esse não é apenas mais um enredo de música sertaneja…

… são histórias reais, que acontecem todos os dias e sugam as energias de muitas mulheres ao nosso redor. É motivo de discussões acaloradas no WhatsApp, indiretas no Facebook e stories aparentemente desapegados no Instagram. São homens que não amam as mulheres, mas fazem de tudo para prendê-las. Resta saber se é por insegurança, imaturidade ou mais uma faceta da maldade humana.

2 comments on “Os homens que não amam as mulheres, mas fazem tudo para prendê-las”

  1. Lembro de cada promessa vazia e me vejo como uma boba por não ter conseguido enxergar tudo desde o começo. Tive o coração e a alma despedaçados e a pessoa não se importou o mínimo. Sempre preocupado em inflar seu ego. Você descreveu uma parte de uma história que aconteceu comigo. Eu consegui me libertar e desejo isso pra quem passa a mesma situação agora. Cheguei a achar que era a única. Obrigada!

    • Oi, Jessica! Claro que você não é a única. Esses homens repetem um padrão há muito tempo arraigado em nossa sociedade. Padrão esse que para muitas de nós é difícil de se libertar. Fico muito feliz que você tenha conseguido superar esse momento difícil. Também passei pelo mesmo… e as marcas ainda doem muito no meu coração. Mas seguimos em frente, somos fortes e traçaremos o nosso caminho de volta, em buscar do florescer! Obrigada pelo seu comentário 🙂 Volte sempre! Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *