imagem-600
Errar faz parte do aprendizado. E correr atrás do erro é aprender mais ainda (Foto: Free Images)

Sempre tive medo de errar com os outros. Eu nunca entendi direito porque tinha uma necessidade de estar em paz com os outros. Mesmo que não estivesse em paz comigo. Um dia parei para pensar e entendi. Quando criança, tinha um grupo de amigos onde morava que não poderia ter sido pior para mim.

Por algum motivo, eu sempre era escanteada. O bullying era sempre comigo. As piadinhas sempre eram relacionadas a mim. Eu não conseguia entender como crianças podiam ser tão malvadas (!!!!). Por quê comigo? O que eu tinha feito? Até que minha mãe me proibiu o contato. “Antes só do que mal acompanhada”, ela dizia. Continuei sem entender por muito tempo. Eu, que sempre adorei companhia, passei muito tempo sozinha.

Quem passa por bullying desenvolve o hábito da justiça. De não fazer com os outros o que você não gostaria que fizessem com você. Você não vai excluir o gordinho só porque ele é gordinho. Você já passou por isso. Sabe o que é ser excluído. Não vai rir daquele que tem o cabelo estranho porque você sabe como é rirem de você por causa do seu cabelo. Você pode até se deixar levar pela onda, mas vai se policiar eternamente para não cometer com os outros aqueles mesmos erros que cometeram com você.

De pisar tanto em ovos, me policiei muito mais em relação aos meus erros. Cresci com medo de decepcionar os outros – assim como me decepcionaram outras vezes. Mas depois de tanto tempo sozinha, encontrei pessoas que me fizeram entender que errar não me faz ruim, me faz mais humana. Encontrei alguns que me aceitaram do jeito que sou – não me colocaram para trás, não riram do meu jeito e nem desistiram de mim.

Me fizeram entender que errar faz parte do aprendizado. E correr atrás do meu erro é aprender mais ainda. Me fizeram entender que os erros também me dizem muito de quem sou – e de quem quero ser. Agora eu entendi que brigas muitas vezes são desnecessárias mas em outras são parte essencial de qualquer relacionamento. E que eu preciso me entender para entender o outro também.

É. é isso. O mantra de todo dia. Errar não me faz ruim. Me faz mais humana. Mais parte da vida. Mais perto de acertos. Você erra tentando acertar. Por você, pelos outros. Errar também é uma forma de amor.

2 comments on “Errar não te faz ruim, te faz humano”

  1. Errar faz parte da essência do humano. E temos que aprender a amar aos outros sem tentar muda-los para o que nós achamos que é certo.
    Adorei o texto.
    Beijo sua linda, i love you ;*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *