Caminhos
Caminhos sempre me deixaram em dúvida, mas aprendi a tomar decisões e ser firme nelas

Dia desses me vi falando uma frase que até hoje tenho certo medo da intensidade de tantos sentimentos contidos em um só período. “Eu tenho que seguir em frente. Porque eu não tenho opção. E quando eu não tiver mais forças, fazer o que? Ter fé em Deus”, disse a uma amiga.

Tive medo da minha frase porque tenho dificuldade em tomar decisões. Libriana que sou me vejo sempre cheia de dúvidas. Faço isso ou aquilo? Vou para este canto ou para aquele? Que roupa uso hoje? Falo ou não o que sinto para quem amo? Aceito ou não aquela proposta? Faço esta ou aquela viagem? Fico em casa ou saio? E se eu sair e for horrível? Mas e se eu ficar em casa e for pior ainda?

Essas indecisões são tão comuns em minha vida que me acostumei a delegar as soluções para outras pessoas só para evitar a fadiga. Ou para aliviar um pouco a carga do arrependimento depois da decisão tomada.

Por isso luto muito com os meus sentimentos. Sou volátil demais. Hoje sinto, amanhã não sinto mais. E volto a sentir um instante depois. Volto atrás em decisões tomadas. Me arrependo de ter voltado atrás. E me arrependo de não ter voltado também. Não consigo lidar com a dúvida. E também não consigo abstrair. Demoro dias para digerir acontecimentos.

Mas, finalmente me decidi. Continuo lutando com os sentimentos, mas estou sendo firme nas minhas decisões. Cansei de fracas amizades, amores rasos, pessoas baratas. Cansei de voltar atrás por achar que desta vez vai ser diferente. Cansei de acreditar em pessoas que, sinceramente, não acreditam nelas mesmas. E por não acreditar nelas mesmas, elas não acreditam em nós também. Esta culpa eu não vou carregar.

Cansei de dar sempre mais uma chance. De escutar lamentos de pessoas que voltam a fazer sempre a mesma coisa. Cansei de ajudar quem não quer ajuda. Esgotei a paciência. Não volto mais atrás em caminhos sem saída.

Então… A confiança foi embora. A esperança também. A admiração igualmente. Mas o amor, o amor continua. Disso, graças a Deus, não tenho dúvidas.